A Noite Maldita

Demorei, mas terminei!

Eu achei que não ia levar um mês pra ler, mas essas últimas semanas foram agitadas… Enfim, finalmente vou fazer a crítica de A Noite Maldita!

A história é a seguinte: Uma noite comum vira o maior pesadelo de todos. Metade da população dorme e não acorda mais. Entre os que ficam acordados, parte das pessoas viram vampiros. Você acha que a coisa tá feia? Isso porque eu nem disse ainda que todos os meios de comunicação foram pro saco. Sem televisão, sem telefone, sem internet (nãããão), sem rádio, sem eletricidade, sem nada. E agora, José?

Pois é, a história do livro conta o “e agora”. O livro tem mais de 600 páginas, porém conta dos quatro primeiros dias (e noites) depois desse apocalipse. A Noite Maldita conta os eventos que fizeram o mundo de Bento surgir. Como foram os primeiros dias? Como surgiu São Vítor? Como surgiram os rios de sangue? O que as pessoas fizeram? Essas perguntas são respondidas no livro.

E se você tá pensando que a história vai demorar uns 4 capítulos pra começar, pense de novo. O livro já começa na primeira noite, no desespero e na loucura. Nós conhecemos os personagens durante toda a situação, sem aqueles capítulos que deixam o leitor esperando pra fazer uma introdução do que acontece, então desde o primeiro momento já fica tudo tenso.

Nesse livro o número de personagens está bem maior que o normal, o que nos dá vários pontos de vista do que está acontecendo, assim dá pra ver como cada pessoa lida com a situação, além de dar a impressão que é uma catástrofe com grandes proporções. Uma hora temos Cássio, o sargento paulista, procurando por sua irmã nas ruas da maior cidade do Brasil. Outra hora vemos Amintas, lá em Belém do Pará tentando entender o que raios é aquele cheiro estranho que está sentindo. Depois aparece a promotora Raquel buscando sua vingança contra o assassino de seu marido. No próximo capítulo temos a enfermeira Mallory tentando cuidar do hospital que lotou de uma hora pra outra. E se você leu Bento, você já reconheceu dois dos nomes que eu falei aí. Pois é, temos personagens novos junto com os velhos, o que é muito legal pra quem já leu e fica tipo “Aaaaah então você era isso antes de virar vampiro”.

É muito difícil também pontuar quem é o personagem principal. Alguns aparecem mais e outros bem menos, eu ainda acho que o principal é o Cássio, mas também poderia ser a Raquel, se bem que no começo do livro você acha que é o Francis. E não há piedade, muitos personagens morrem ou pelo menos se dão mal.

Ao nos apresentar esses personagens, André Vianco nos coloca dentro da história. Como assim? Esses personagens, de adolescentes até senhores, são pessoas comuns como nós, com vidas normais como as nossas e que possivelmente andam pelos mesmo lugares que nós. Quantas vezes não passei pela 9 de Julho ou pela Teodoro Sampaio, que são citados no livro? Além de que tenho família no Pará. Tudo fica mais perto, e enquanto você tá lendo o livro no ônibus, passando exatamente por esses lugares, você se pega pensando “O que eu faria?”.

Além de que é uma história que te deixa meio desesperado. Você sabe que nada vai ser mais como era antes, a vida desses personagens, e a sua se isso realmente acontecesse, ia virar uma confusão (se você ficasse vivo né). E é uma leitura que pode ser feita antes mesmo de ler a trilogia de Bento (se bem que ler já tendo lido os outros três foi bem divertido hahah).

Não preciso nem dizer que eu gostei muito né? A narrativa te pega, você fica preso, o “só mais um capítulo” funciona e você sente como se tudo aquilo fosse perfeitamente capaz de acontecer, ainda mais pelo fato de tudo estar acontecendo com pessoas e lugares tão perto de nós.

Não há um ponto final definitivo, até porque a vida desses personagens nesse inferno vai continuar por anos, muitos anos como alguns de nós já sabem. Uns personagens nós sabemos como vão ficar, outros não, podendo até dar espaço pra uma continuação (fica a dica André Vianco). Mesmo que naquela noite o personagem tenha sobrevivido, vai ter outra pra ele lutar e mais outra, porque agora essa é a realidade do mundo, lutar com vampiros e se manter vivo.

Nesse livro não há nenhuma indicação do motivo dessa noite ter mudado tudo, até porque não precisa, se você quiser saber da onde tudo isso surgiu, sugiro que leia a trilogia Bento.

Agora posso ter uma revolta de fã (possíveis spoilers)?  Por que o meu personagem preferido só tem dois capítulos? Isso não é justo, eu ficava pensando “nossa quando será que ele vai aparecer” e só vejo dois capítulos do Vicente? Sacanagem. Mas tudo bem, tem bastante Raquel, que vem logo depois na minha lista top 10 de personagens de Bento. (fim dos spoilers)

Enfim, é uma ótima recomendação pra quem curte vampiros, apocalipses, literatura fantástica e afins. André Vianco mostra mais uma vez que o Brasil tem excelentes autores de literatura fantástica.

Curta o Ideias em Roxo no facebook!: https://www.facebook.com/IdeiasEmRoxo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s