7° Episódio: The Gift – Análise de Game of Thrones

Episódio do dia 24/05: The Gift

Em geral: O episódio mais movimentado até agora, o que é sempre bom numa série com o passo de Game of Thrones, porém, ao mesmo tempo que momentos grandes parecem estar acontecendo rápido demais, o andamento da série dá um ar de “devia ter acontecido antes”, o que reflete todos os problemas que aconteceram ao longo dessa temporada. De qualquer forma, chegamos ao ponto em que sabemos que os próximos episódios serão agitados. Mesmo movimentado, The Gift ainda é um episódio, no máximo, mediano, com cenas aleatórias e mais escolhas ruins.

Abaixo análise com spoilers

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

  • Winterfell

Não sei como depois desse episódio ainda vai ter gente argumentando que Sansa não foi estuprada. Não só os roxos no corpo dela estão visíveis, ela também pede a ajuda de Theon, lembrando que Sansa o odeia por ter “matado” seus irmãos mais novos.

Mais uma cena desnecessária de Sansa, vemos ela passando por situações que são pouco relevantes para a sua personagem, até porque esse episódio só reforça a ideia de Sansa ser a personagem secundária do arco de Theon. Mas calma, não acaba aí. Sansa pede para que Theon deixe a tal vela no topo da torre, para chamar ajuda dos amigos que ela tinha no Norte. Theon é pego por Ramsay e confessa o que estava fazendo.

Apesar de ser revoltante ver a Sansa ter problemas de novo, não acho que tenha sido pura maldade de Theon. Ele foi torturado de todas as formas por Ramsay e ver seu torturador já o deixa em pânico. Apesar do estupro de Sansa ser o primeiro fator para ele se “libertar” (expressando aqui de novo o quão horrível é usar o estupro de uma mulher para desenvolver o personagem homem), não acho que essa “libertação” aconteceria assim tão rápido.

O problema é que um fato aparentemente coerente, que é Theon falando a verdade para Ramsay, nos trouxe para ainda outra cena de sofrimento da Sansa. Ramsay mostra o que fez com sua “amiga em Winterfell” e vemos a senhora que disse “O Norte lembra” toda esfolada. Ele também conta como torturou todos os outros que queriam ajudá-la. Antes de chegar nesse momento, Sansa parece pegar alguma coisa, que deu a ideia de que talvez ela fosse atacar e deu uma cutucada em Ramsay em relação ao “real herdeiro” dos Bolton.

É o mesmo caso da cena com a Myranda no último episódio. Não adianta mostrar a Sansa mais forte e corajosa, para tirar tudo isso com alguma tortura física ou psicológica. A Sansa que chora ao ver a senhora esfolada parece a Sansa que viu a cabeça do pai decapitado. Todo o desenvolvimento da quarta temporada foi jogada no lixo para mostrar o quanto o Ramsay é nojento e servir de redenção para Theon. HBO, as mulheres são mais do que peças para aprofundar homens.

Sem contar que, um elemento que podia ser interessante, das pessoas do Norte só aceitarem Starks em Winterfell, só serviu para adicionar mais sofrimento na personagem.

Aliás, mais uma vez uma cena de Brienne apenas olhando para o horizonte, e dessa vez foi literalmente isso.

  • Problemas na Muralha

Jon vai pedir ajuda dos selvagens, mas não sem antes receber olhares cruéis dos outros homens e ouvir pessoas contra a sua decisão. O que não é nenhuma novidade, mas está servindo para preparar um possível terreno de guerra interna na Patrulha da Noite.

Então as coisas pioram e Aemon morre, um dos grandes amigos tanto de Jon quanto de Sam. Não lembro de ter visto indícios da doença de Aemon durante a série, o que fez a morte parecer um tanto quanto repentina, mas os delírios finais dele foram interessantes. Essa morte é outro indício que aponta problemas internos, até porque Sam ouve uma ameaça, dizendo que “está ficando sem amigos ali”.

Apesar da cena parecer repentina, o momento serve para preparar a Patrulha da Noite para os conflitos do final da temporada.

Porém, mais uma vez, os produtores mostram que não conseguem fazer conflitos envolvendo mulheres sem algum tipo de violência. Gilly é ameaçada e quase estuprada, mas como toda donzela em perigo, temos o cavaleiro Sam para salvá-la. Ele apanha bastante e sobra para Fantasma, sim, o lobo de Jon, que volta do nada, salvar os dois.

O ponto da cena era mostrar que Sam está com problemas e mostrar que Fantasma está de volta. Sam sofre bullying dos outros desde o primeiro dia, nenhum dos homens lá precisa de muito motivo para machucá-lo com Jon longe. Minha pergunta é: Precisava colocar Gilly naquela situação? Sam está sozinho, dois soldados começam a tirar sarro dele, a coisa perde o controle e eles brigam, Fantasma aparece e salva o dia. Pronto.

Mas como Game of Thrones tem provado, principalmente nessa temporada, não podemos mais assistir nenhum episódio pensando “não pode ficar pior”, porque pode. Assim como qualquer “moça agradecida” depois de salva de estupro, Gilly cura os ferimentos de Sam e faz sexo com ele. Não é piada, realmente aconteceu, porque obviamente Gilly tinha que mostrar sua gratidão, logo depois de quase ser estuprada, dessa forma. Isso só reforça a ideia de que uma mulher precisa recompensar um homem com sexo depois dele ser “legal”. O relacionamento deles nem é um problema, mas sim como aconteceu.

  • Stannis

Já venho notando que Stannis anda parecendo mais o personagem principal do núcleo do que o próprio Davos, que carrega o ponto de vista no livro. De qualquer forma, Stannis parece ser um dos únicos que realmente avança e fica dentro do personagem.

Stannis está com problemas, como Ramsay comenta antes, o exército dos Baratheon não sabe lutar na neve como os Bolton. Davos avisa dos perigos e que deviam voltar, mas Stannis, ficando dentro do personagem orgulhoso que é, se recusa, ele é um rei e não pode desistir.

Melisandre fica sozinha com o rei e vemos Stannis hesitando em sua fé, questionando Melisandre, mesmo ela usando o argumento de já ter conseguido a morte de três reis para ele. Ela diz que a vitória só virá com um sacrifício de sangue real, e como muitos esperávamos, ela quer usar Shireen. Não era à toa que a garota tinha recebido mais cenas ultimamente.

Coerente com seu desenvolvimento até agora, Stannis nega e manda Melisandre embora. Apesar de não gostar nada da insinuação sexual que acontece durante essa cena, foi bom ver Stannis duvidando e se recusando a machucar a filha. Uma pena que Melisandre não tenha arcos bons assim, já que sua personagem é sempre colocada em situações sexualizadas e desnecessárias.

  • Dorne (we could have had it all…)

Infelizmente, Dorne é um concorrente forte ao núcleo mais fraco da série. Um dos lugares mais interessantes de Westeros, com uma família que segue regras diferentes e personagens incríveis… Ver o que tudo isso virou na série dói.

Lá temos mais uma cena mostrando de novo o dilema de Jaime na questão de ser pai, sua filha falando “Você não me conhece” parece ter cutucado uma ferida que já tinha aparecido na temporada.

Bronn está em uma cela, de frente para as Serpentes de Areia. Tyene começa a conversar com Bronn, que resulta em uma das cenas mais ridículas da série: Ela começa a tirar a roupa para “seduzir” Bronn, que o faz descobrir que foi envenenado pelas lâminas de Tyene. A série podia ter criado uma tensão aqui de deixar no ar que ele vai morrer, mas por algum motivo, Tyene entrega o antídoto.

Entendi que a “sedução” era pra acelerar o coração de Bronn e fazer o veneno se manifestar, mas há outras formas de fazer isso acontecer. Outra alternativa é fazer Bronn começar a tossir depois de terminar a música, sem aceleração de coração nem nada. Por que fazer Tyene entregar o antídoto? Qual a vantagem? A personagem dela não faria isso, ela podia até falar que ia, mas enganá-lo no final. A pequena esperança é que na verdade isso não seja o antídoto, mas não apaga o quão ruim a cena foi. Mais uma vez, os produtores de Game of Thrones forçam a nudez de uma mulher em um contexto completamente desnecessário.

  • Enquanto isso, em Essos…

É pouco provável que Tyrion tivesse conseguido, daquela forma, ser comprado pelo dono de escravos, mas Peter Dinklage normalmente dá um quê a mais para suas cenas. De qualquer forma, esse momento todo já era esperada: Jorah é vendido, Tyrion usa a esperteza para ir junto e eles vão parar nas arenas de luta.

Não imaginei que eles fossem encontrar Daenerys tão rápido. Parece acelerado, que forçaram a barra para fazer Jorah, Tyrion e Daenerys se encontrarem antes, fazendo ela ir assistir uma luta numa arena menor que é justo onde os dois estão. Sem contar que, como tinha mencionado em críticas anteriores, isso é um spoiler do próprio livro, já que em A Dança dos Dragões, Daenerys e Tyrion não tinham se encontrado (e não parecia que iam tão cedo).

Daenerys não encara bem reencontrar Jorah e provavelmente não vai receber Tyrion de braços abertos. Aliás, o que foi aquele guarda libertando Tyrion do nada? Os produtores simplesmente desistiram de explicar as coisas?

Outro ponto interessante de notar é a conversa de Daenerys com Daario. Essa conversa foi um daqueles momentos que nos fez lembrar que Daario pode não ser tão leal a Daenerys quanto alguns acreditam.

  • Porto Real

Muitas coisas aconteceram nesse núcleo. Olenna tenta convencer o Alto Pardal de soltar Loras e Margaery, oferecendo coisas, ameaçando tirar a comida da cidade… Como sempre, o Alto Pardal continua com o que acredita e continua construindo a ideia de que pode ser mais intimidador que outros nobres. Faz até um discurso sobre como frágil a nobreza é e como eles vão cair quando a maioria da população perceber isso.

São dois atores muito bons, mas a cena ainda parece encheção de linguiça, principalmente porque, mais uma vez, vemos Olenna ser ineficiente. Como na crítica do episódio anterior, não esperava que ela conseguisse convencer o Alto Pardal na conversa, mas que ela fosse mais esperta e saber que isso não funcionaria. Talvez se essa cena fosse a primeira vez que ela tentasse, sem ter falado com Cersei no sexto episódio, ficaria melhor. Como sugeri antes, Olenna podia ter chegado nesse episódio e tentado convencer o Alto Pardal e seria provavelmente uma das primeiras vezes que Olenna não conseguiria o que quer, além de mostrar que o Alto Pardal é uma das únicas pessoas que não pode ser comprada dessa forma.

Desde o episódio que os pardais apareceram, eu já tinha considerado como a temporada ia trabalhar Cersei para ela ser presa eventualmente. Essa cena acontece durante O Festim dos Corvos, que é o primeiro livro com ponto de vista da Cersei. Dessa forma, GRRM faz com que simpatizemos com a rainha Lannister, para que a cena da prisão seja mais dolorosa para o leitor. Essa redenção não acontece na série, nesse episódio vimos um pouco disso com a cena dela e Tommen, mas muito pouco comparado a tudo que ela tem feito.

Voltando para a Rainha dos Espinhos: Mindinho manda uma carta para Olenna e eles começam a armar um jeito de derrubar Cersei e ajudar os Tyrell. Petyr diz que ele tem um presente para a Rainha dos Espinhos, que é um “garoto”. Depois disso, vemos Cersei indo visitar Margaery e fingindo que a quer livre, o que faz Margaery se revoltar. Quando Cersei vai falar com o Alto Pardal, Lancel aparece e ela é presa pelas coisas que seu primo confessou.

Toda essa passagem é interessante, mas há alguns problemas. Primeiro, não entendi bem a motivação de Mindinho de derrubar Cersei. Todos sabemos que ele apunhala outros pelas costas, mas sempre com algum motivo e aqui não vi nenhum. Ainda temos três episódios pra descobrir o porquê, mas parece aleatório. Para Olenna é bom derrubar Cersei, Tommen seria uma presa muito fácil, mas a personagem dela aqui parece apenas um meio da audiência saber o que Mindinho está armando. Nenhum dos dois estão aqui nos livros, tudo acontece com outros personagens ao redor de Cersei.

O que realmente mais me incomoda aqui é como Cersei foi presa. Já mencionei que a série falhou em criar redenção para a personagem, mas agora os meios de sua prisão parecem estranhos. No livro, Cersei usa um personagem chamado Osney para armar contra Margaery, além de alguns espiões. O Alto Pardal suspeita da declaração de Osney e o tortura para saber a verdade: Cersei o seduziu para incriminar Margaery. Na falta de Osney, eles usam as declarações de Lancel para prendê-la, mas…

O Alto Pardal diz que um jovem (que provavelmente era o presente de Mindinho) vai até ele e confessa seus crimes. Pelo que dá a entender, essa confissão pode ter acontecido em dois momentos: Quando Lancel se juntou aos pardais ou em algum momento mais recente depois de ter sido convencido por Mindinho.

Na primeira alternativa, a mais provável, o tempo não bate. Lancel se juntou aos pardais em algum momento entre a quarta e a quinta temporada, então ele confessou tudo faz algum tempo. Por que o Alto Pardal só prenderia Cersei agora? Por que ele esperou tanto? No livro, muitas vezes o Alto Pardal parece mais um jogador do que o homem humilde da série, então ele pode ter esperado o momento certo, mas ainda não dá pra entender o motivo.

Na segunda alternativa, Lancel sai de personagem. Ele era bastante manipulável antes, mas agora é um servo fiel do Alto Pardal. Quando ele se juntou aos pardais ele não confessou tudo? Mesmo que não tenha, não faz sentido que Petyr convença o Lancel de agora a ser uma peça para derrubar Cersei.

Além de que, se paramos para pensar em como a série tem tratado as mulheres, principalmente nessa temporada, a cena fica ainda mais machista.

  • Edição

No começo do episódio já tinha visto um corte estranho, da Muralha para Winterfell, mas achei que tivesse sido só uma escolha ruim. Não foi a única, pelo jeito.

O nome do episódio é O Presente, que fala de Tyrion quando ele diz “Eu sou o presente” para Daenerys. Aquela cena era o momento final, o episódio deveria ter acabado ali, o gancho teria sido melhor. Dois personagens grandes, amados pelo público e que nunca se viram finalmente se encontraram.

Entendo que a prisão de Cersei é mais chocante, mas continuar o episódio assim pareceu desnecessário. Pelo menos as cenas de Porto Real deviam ter acontecido antes. O tal do “presente” também podia ser o presente que Petyr dá para a Rainha dos Espinhos, mas o episódio ainda se arrasta depois disso. A cena final poderia ter sido também Cersei sendo presa, mas ainda temos alguns momentos dela na cela, ameaçando os guardas… Não foram as melhores escolhas do episódio.

O que espero no próximo episódio: Os três pólos de maior tensão atualmente: Porto Real, Meereen e a Muralha. Também espero que eles comecem a mostrar alguma coisa da guerra entre Stannis e Roose. Arya talvez fique mais um episódio sem aparecer e, do jeito que Dorne está, não me incomodo de não ver mais nenhuma cena de lá. Ainda vou continuar sonhando com Sansa se vingando de Ramsay.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s