Arlequina não quer mais saber do Coringa

harley

Aviso: Essa postagem contém spoilers das HQ da Arlequina, incluindo o volume 25.

Já comentei em alguns textos que não sou a maior leitora de quadrinhos. Tenho aumentado meu repertório de uns tempos pra cá, mas ainda é pequeno e são principalmente as publicações da Image Comics. Porém, como tem se falado muito dos personagens do Esquadrão Suicida, principalmente da Arlequina, resolvi ler os quadrinhos novos dela por curiosidade.

Essa semana saiu o volume 25 da HQ da Arlequina e em pouco tempo várias imagens surgiram na internet. Na hora que eu vi do que elas se tratavam eu senti algo que mal consigo descrever. Era um misto de alívio, satisfação e felicidade, o que me pareceu estranho depois que parei pra pensar porque eu nunca me considerei uma fã da Arlequina, não por nada, mas porque comecei a conhecer mais da personagem agora.

Pra quem não acompanha a HQ, mas quer ler a postagem mesmo assim, o que acontece é: Arlequina decide mudar de vida e vai para o Brooklyn, onde mora em um novo apartamento, com novos amigos, uma gangue e visitas periódicas da Hera Venenosa. Apesar de possuir métodos nada éticos, dá pra perceber que ela se preocupa com os outros e quer, do seu jeito, fazer o bem, continuando sempre bem-humorada.

Arlequina começa a sair com um cara chamado Mason, que algum tempo depois é preso e mandado para o Asilo Arkham. Sabemos que Arlequina já trabalhou lá e invadiu o lugar, então ela decide voltar para salvar Mason. Acontece que no meio disso, ela encontra o Coringa, que também está preso. Depois de uma briga entre os dois, Arlequina finalmente dá um ponto final no relacionamento abusivo que tinha com ele.

Pois é, isso mesmo que você está lendo, por mais que a HQ tivesse andando para esse lado, eu não achei realmente que algum dia veria, de forma tão gráfica e óbvia, a Arlequina terminando com o Coringa, mas foi isso que aconteceu, e é óbvio que o assunto principal do texto é esse, mas eu queria também falar de outras coisas que acontecem no quadrinho que levaram a isso.

gallerycomics_1920x1080_20150722_hqpg-02-cov-col_55a021f0e4dcd1-99719940

Apesar de não gostar de tudo do quadrinho, eu quero me focar em como eu acho que a história soube lidar com a Arlequina se recuperando de um passado traumático. Eu nunca namorei um Coringa, mas já conheci alguns e vi o estrago que eles podem fazer. É fato, nenhum deles realmente explodem coisas ou assassinam pessoas, acho que todo mundo entende que quando eu chamo certos homens de Coringas, eu me refiro ao quão manipuladores e tóxicos eles são com mulheres ao seu redor.

A HQ é sobre a Arlequina, ela é a principal, vemos ela conseguindo um novo emprego, participando de competições perigosas porque gosta, fazendo amigos novos, se metendo em problemas, salvando o dia… Hora ou outra o Coringa aparece na mente dela, até de forma romântica e por um tempo eu fiquei preocupada sobre onde isso iria, mas isso encaixa com o que acontece no resto do quadrinho. Veja, ela se envolveu emocionalmente com ele por um bom tempo, não é automático que o Coringa vai parar de aparecer em sua mente. Alguns volumes antes do 25, um dos membros de sua gangue lhe dá um boneco do Coringa e fala pra Arlequina mostrar o que ele fez. Ela diz “ele mexeu comigo aqui” enquanto arranca a cabeça do boneco.

Nós todos sabemos que mexer com a cabeça dela não foi a única coisa que o Coringa fez, ele bateu nela, foi violento, a jogou de uma janela e, na versão mais recente, em ácido. É óbvio que a Arlequina não ignora tudo isso, mas o que eu entendo é que pra ela o que mais teve dano foi sua mente.

Um tempo atrás eu fiz um desabafo no meu medium falando sobre homens em quem confiamos e mais tarde nos difamam. O famoso gaslighting (abuso psicológico onde o abusador mente, omite e manipula as informações para fazer a vítima duvidar de si mesma e até difamá-la para outros) que na minha opinião é um abuso extremamente cruel. Muitas vezes mulheres sofrem abusos psicológicos de homens e não percebem ou não dão importância, infelizmente muitos ainda encaram a violência como só aquela que é física. Violência pode ser física, e infelizmente é com muita frequência, mas ela também pode ser psicológica, que é muito violenta e dolorosa também. O Coringa agrediu Arlequina fisicamente, mas não é isso que ela mais lembra, o que fica mais marcado é como o Coringa a manipulou, seja por suas mentiras ou por pegar nos pontos fracos dela.

harley_7_2_539b3122a229e4-43112916

Vimos em vários volumes a Arlequina com seus amigos, até começando um relacionamento com outro cara e se aproximando cada vez mais da Hera Venenosa, pode até parecer estranho que, mesmo com tudo isso de bom, ela ainda sofra pelo Coringa, mas não é fácil superar um abuso, ainda mais considerando que a Arlequina ficou nesse relacionamento por um bom tempo.

Então tá, ela vai pro asilo e encontra Mason. Aqui eu quero sair um pouco da Arlequina e falar do Coringa, que mesmo depois de um tempo afastado dela, continuou tentando atingi-la. Ele a difama para Mason, não sabemos o que ele contou, pode ser mentira ou verdade, mas sinceramente não importa, ele a difama, porque abusadores fazem isso, eles isolam suas vítimas e são capazes de tentar difamá-las para as pessoas mais próximas dela. E isso é agressão sim.

Voltando pra Arlequina, ela solta Mason e decide conversar com o Coringa, não sei se foi essa a intenção dos roteiristas, mas pra mim ela queria dar um ponto final, tentar concluir aquele assunto pra ela mesma e também mandá-lo para o inferno, afinal quem nunca quis mandar alguém que te machucou pro inferno, né? Ela tenta conversar, mas obviamente o Coringa só está interessando em abusar mais dela, e quando ele percebe que o “papinho” dele não funciona mais, ele parte pra agressão física. Outro detalhe que eu queria pontuar aqui é que no caso do Coringa foi fisicamente, mas já vi muitos “Coringas” na vida real (ou Killgraves, como preferir) que nesse momento não partem pro físico, mas começam a agredir com “você está descontrolada”, “você não vê o que eu fiz por você”, etc.

A briga continua e parece que Arlequina vai perder, ou que ela vai ceder, eles se beijam e… Arlequina arranca o lábio dele! A partir daí ela toma o controle, não só da luta, mas de todo o resto, porque a partir daqui fica evidente que o controle que o Coringa tinha sobre ela foi todo embora e ela deu a volta por cima. Vemos uns momentos violentos dela batendo nele e depois indo embora com Mason.

haaarley

Coringa, como o abusador que é, não aceita que perdeu o controle sobre ela e ainda quer machucá-la. Ela provoca Arlequina, não porque ele quer que ela volte pra ele, todos já sabem que isso não vai funcionar mais, mas porque ele quer que ela se rebaixe ao nível dele, Coringa quer que ela seja tão “ruim” quanto ele, porque aí ele terá vencido. É algo tipo: Tudo bem Arlequina, você não tá mais comigo, mas eu te mudei pra sempre, eu te fiz um ser humano tão ruim quanto eu (não que seja verdade, mas é a lógica dele).

Porém a própria Arlequina entende e diz que é isso que ele quer, o Coringa quer arrastá-la pra baixo, aí ela entende por que o Batman nunca o matava e naquele momento ele não é mais ameaça pra ela, a Arlequina mesma disse que não gostava daquilo, que não queria ser agressiva, então ela decide que o melhor pra ela é dar as costas de uma vez por todas.

Arlequina vai embora com seus amigos, ela diz que não está bem, mas que vai ficar, porque por mais que doa, ela conseguiu dar um ponto final e seguir em frente. Ela construiu uma vida além do Coringa, o que ela passou faz parte de sua história, mas nunca será a única coisa que vai defini-la.

Voltando para o que comentei lá em cima, eu não me considerava fã da Arlequina ou dessa HQ, então por que isso me moveu tanto? Porque não é só a Arlequina, é a história de inúmeras mulheres que se repete, a base do “roteiro” é a mesma, só muda alguns pontos e os personagens. Semana passada comentei com uma amiga sobre isso, por vários motivos fui pensando e vendo histórias de várias Arlequinas que se envolviam com Coringas e… Era tudo muito parecido, como se fosse a mesma base de história contada inúmeras vezes, um grande clichê, mas muito real: Homens continuam manipulando mulheres ao seu redor e abusando delas. Ver uma personagem como a Arlequina, que era famosa exatamente por ter esse relacionamento abusivo, se libertando das correntes do Coringa foi um negócio que me emocionou.

Eu quero que todas as Arlequinas do mundo consigam se livrar de seus Coringas, consigam se afastar de homens que abusam, mentem, omitem e manipulam. Que se amem, que entendam, como a Arlequina entendeu, que elas são melhores que isso e que por mais que a agressão física não ocorra, a psicológica é muito grave e se um homem é capaz de fazer isso com você é porque ele não é uma pessoa que você quer por perto.

Anúncios

2 comentários sobre “Arlequina não quer mais saber do Coringa

  1. Pingback: O relacionamento abusivo entre a Arlequina e o Coringa | Ideias em Roxo

  2. Parabéns pelo artigo, está muito bem escrito. Eu amei ficar sabendo que ela finalmente se libertou dele e que (aleluia) ela está bem e com outra pessoa. Estou fazendo um artigo cientifico para a faculdade tendo como base o relacionamento dela e do Coringa e o quanto ele é perigoso e real ao mesmo tempo. Obrigada por me ajudar e contribuir para uma das fontes. Beijos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s