As mulheres da ficção que marcaram minha infância

Powerpuff-girls-answer-phone

Hoje é 08 de março, dia internacional da mulher, um dia que vai muito além de você dar flores para as “mulheres da sua vida”, afinal pouco adianta fazer isso e continuar com atitudes machistas. Como sempre comento aqui no blog, representação é algo muito importante e ter obras ficcionais que falem sobre feminismo ou tenham personagens com esse discurso é uma forma de criar debates sobre o assunto.

Pensando nisso, fiquei tentando lembrar de personagens mulheres que tenham marcado minha infância e adolescência, seja com um discurso feminista mais direto ou só por serem mulheres fortes que me mostraram que eu podia fazer coisas incríveis também. Com isso na cabeça, fiz uma lista de sete personagens que, mesmo quando eu nem sabia o que era feminismo ou não me identificava como feminista, me ajudaram a formar a pessoa que eu sou hoje.

  • Sarah Williams (Labirinto)

labyrinthbdcap4_original

Ela tinha que ser a primeira da minha lista, não só por ter sido uma das primeiras (se não a primeira) heroína que tive como modelo, mas também por ser a protagonista do meu filme preferido.

Falo dela (e do filme) sempre, Sarah é uma adolescente de 15 anos que comete um erro: Pede para que o Rei dos Duendes leve seu irmão embora, ela só não imaginava que os duendes realmente fossem aparecer e realizar seu desejo. Por isso, Sarah precisa enfrentar vários desafios no Labirinto e a inteligência dela ganha da magia de Jareth.

Eu me identificava com Sarah em vários aspectos, da teimosia até o “viver no mundo da lua”, talvez na época não tenha apreciado tanto os discursos dela, mas vi esse filme inúmeras vezes durante os anos e a frase mais marcante dela “Você não tem poderes sobre mim” foi cada vez mais fazendo sentido, Sarah me ensinou que homem nenhum pode ter controle sobre nós e nem nos manipular, não importa o que aconteça.

Continuar lendo

Por que Avatar é sensacional e você precisa assistir (Aang e Korra)!

avatar

Um dia desses descobri que faz dez anos desde que o primeiro episódio de Avatar: O Último Dobrador de Ar passou na televisão. Quase me senti velha, lembrando de ter 12 anos, sentada na sala da casa do meu pai, assistindo Nickelodeon e conhecendo aquele que seria o meu desenho animado favorito.

É difícil explicar todos os motivos que fazem Avatar ser um dos melhores desenhos que já existi, mas hoje, em homenagem aos seus dez anos, vou tentar falar porque Avatar é uma série tão incrível (e quem sabe te convencer a assistir também).

Em Avatar: O Último Dobrador de Ar, Katara e seu irmão Sokka, ambos da tribo da água do sul, encontram um menino preso no iceberg. Assim que conseguem tirá-lo de lá, descobrem que o garoto é o Avatar, que tinha sumido há cem anos, o que fez com que a nação do fogo atacasse os outros povos em busca de poder.

Após 7 anos, em 2012, foi lançado A Lenda de Korra, que, como o nome indica, conta a história de Korra, a nova avatar, 70 anos depois da guerra contra a nação do fogo. Para aprender a dominar o último elemento que ainda não tem domínio, o ar, Korra vai parar em Republic City, dando início a sua jornada.

Continuar lendo