7º Episódio: A Prayer for Mad Sweeney | Deuses Americanos

mad_sweeney

Quando voltamos a nos acostumar com a estrutura “padrão” de Deuses Americanos, a série vai lá e muda de novo. Dessa vez, a história de como os deuses chegaram à América dura o episódio inteiro, intercalando com momentos que se passam nos tempos atuais

Como o nome indica, Mr. Ibis vai nos contar como Mad Sweeney, o leprechaun, chegou aos Estados Unidos. Mas dessa vez, vemos tudo isso na visão de Essie, uma mulher que acreditava em leprechaun e outras seres do tipo quando veio para os Estados Unidos. Junto com isso, vemos Mad Sweeney e Laura continuando sua viagem pela estrada.

Esse episódio não mostra nada de Shadow ou Wednesday, tendo a interação entre Mad Sweeney e Laura como foco principal, assim como toda a história da vida de Essie e sua relação com a fé. É uma escolha esquisita para o penúltimo episódio, mas apesar de eu ter estranhado em um primeiro momento, o episódio foi me conquistando a medida que eu fui assistindo.

Esse texto tem spoilers.

Continuar lendo

3º Episódio: Head Full of Snow | Deuses Americanos

head full of snow

Saiu o terceiro episódio de Deuses Americanos: Head Full of Snow e, como o nome indica, teve bastante neve, mas também várias outras coisas.

Mantendo o formato que foi apresentado desde o começo, Head Full of Snow deixa um pouco de lado cenas tensas para criar um clima quase que de conto de fadas. Ainda tem sangue e conflitos, mas o aspecto mágico da série está aumentando cada vez mais, ficando ainda mais evidente nesse terceiro episódio.

Deuses Americanos continua acertando nos pontos de sempre: o visual, as atuações, os diálogos, etc. Mas ela também continua deixando o público um tanto quanto confuso, não só pelo fato de continuarmos sem muitas explicações, mas sim pelas escolhas de Shadow. Como sempre, essa crítica terá spoilers.

Continuar lendo

1º Episódio: The Bone Orchard | Deuses Americanos

American Gods Season 1 2017

Eu amo os livros do Neil Gaiman. Sério. Eu sou a pessoa que chorou com os arcos mais secundários de Sandman e que também chorou com o final de Lugar Nenhum, não porque era muito emocionante, mas porque eu tava chateada que um livro que eu gostei tanto tinha acabado.

Li Deuses Americanos ano passado e estava ansiosa. Eu sei que a gente tá numa época que temos medo de esperar muito alguma coisa porque pode ser ruim, mas a série tinha que ser muito ruim pra eu não gostar, o que definitivamente não é o caso aqui.

O primeiro episódio de Deuses Americanos tinha a função de apresentar um mundo meio louco para os fãs e para pessoas que nunca leram os livros. Já dá para ver um visual marcante, atores que se encaixam com personagens e uma história que vai precisar de mais que um episódio para fazer sentido. No geral, acho que a estreia deu um passo na direção certa. Deuses Americanos é um livro que começa difícil, mas te ganha ao longo dos capítulos. Particularmente, eu acho que a série devia tentar ganhar o público mais cedo, mas essa abordagem pode explicar algumas coisas que vimos.

Assim como as críticas que eu normalmente faço de Game of Thrones, vou falar (ou ao menos pretendo) de todos os episódios ao longo das semanas com spoilers da série. Os comentários que farei sobre os eventos do livro são só as coisas que a série já mostrou (ou cortou).

Continuar lendo

13 Reasons Why e os assuntos que precisam ser falados

13 reasons

É muito raro encontrar alguma pessoa que não tenha passado por algum tipo de bullying na escola. Mesmo eu, que não passei por muitas coisas difíceis na época do colégio, passei por episódios de bullying e certos aspectos de mim hoje são por causa desses momentos. Infelizmente isso é muito comum para muita gente e pode acabar de forma ruim quando não damos a atenção que esse assunto precisa.

Suicídio é outro assunto delicado. É algo sempre pesado e que não sabemos bem como lidar. O assunto suicídio apareceu na minha vida quando eu era bem nova, dentro da minha família. Quem a gente culpa? Existem culpados? O que a gente faz? O que poderíamos ter feito diferente? Como você explica isso para adolescentes?

Eu quis começar falando um pouco da minha própria experiência com esses assuntos porque não tem como assistir 13 Reasons Why e não pensar na própria vida. Depois de assistir os treze episódios, entendo porque tantas pessoas se sentiram tão conectadas. A série conta a história de Hannah (Katherine Langford), ou melhor, de como ela morreu. Depois que ela comete suicídio, seu amigo Clay (Dylan Minnette) recebe uma caixa com treze fitas. Quando ele começa a escutar, Clay descobre que são fitas de Hannah, onde ela fala os motivos que a levaram a se matar. Cada fita é dedicada a uma pessoa que fez algo com ela de alguma forma e, se as fitas chegaram em Clay, é porque ele é um dos motivos.

A crítica não tem spoilers da série ou do livro em que ela foi baseada.

Continuar lendo

8 motivos para você assistir Sense8!

Sense8 é a nova produção da Netflix. Feita pelos irmãos Wachowski, a série foi lançada dia 5 de junho e os 12 episódios da primeira temporada já estão disponíveis. Veja aqui 8 motivos para você dar uma chance para essa série (sem spoilers)!

  • Mind-Blowing!

Esta é uma gíria usada para algo que choca e impressiona. A série é dos irmãos Wachowski, que também fizeram Matrix e Cloud Atlas (A Viagem), então já sabemos que tem algo muito maior acontecendo na história que estamos assistindo. Nos primeiros episódios ficamos confusos com todas as informações que são mostradas, nada parece fazer muito sentido, mas quando as peças vão se juntando e começamos a entender…

A série fala de 8 pessoas que estão interligadas, logo os acontecimentos da vida de um afeta a dos outros, enquanto isso há certas coisas acontecendo que os personagens principais ainda não entendem muito bem. A dinâmica das histórias e como os personagens vão se conectando vai surpreender mais e mais a cada episódio.

  • Os Personagens

Cuidar de uma história com vários personagens principais é difícil, é preciso dar espaço para cada um para que todos tenham seus arcos desenvolvidos. Oito é um número alto, o que podia causar que alguns deles ficassem de canto, porém a série consegue dar espaço para cada um dos personagens principais. No final, existe alguns núcleos com mais espaços que outros, mas boa parte da temporada é dedicada a mostrar cada um dos oito, mostrando que são todos importantes, então nenhum deles parece estar de fora.

Além do mais, por serem tão diferentes entre si, cada um tem um papel importante para a trama. Para os jogadores de RPG, é como se fosse uma grande party, enquanto uma pessoa é boa com armas de fogo, a outra luta corpo a corpo, uma é hacker, a outra mente bem…

Com tantos personagens principais e com todos aparecendo bastante, poderia acontecer dos personagens secundários de cada núcleo ficarem apagados. Mas não, os personagens secundários muitas vezes são tão cativantes quanto os personagens principais.

Continuar lendo