10° Episódio: Mother’s Mercy – Análise de Game of Thrones

Episódio do dia 15/06: Mother’s Mercy

Em geral: Mesmo nas melhores temporadas, o season finale de Game of Thrones pode ficar morno se comparado ao nono episódio, que sempre tem a fama de ser o episódio mais bombástico da temporada. Com um nono episódio mais ou menos, Mother’s Mercy teve algumas cenas marcantes mescladas com cenas fracas e os cliffhangers ajudaram a audiência a manter o interesse do que estava acontecendo.

Abaixo análise com spoilers (incluindo algumas partes do sexto livro)

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

  • Stannis e a… Guerra?

É mais difícil comparar essa parte com o livro já que nele só ouvimos falar dessa guerra. O ponto de vista de Stannis, que é Davos, fica na Muralha desde o começo e descobrimos por cartas que Stannis perdeu. Como sempre digo, na televisão é melhor ver do que contar.

Achei interessante a escolha de mostrar desde o começo que Stannis estava ferrado. Metade do seu exército foi embora (não sabemos ao certo se por medo da derrota ou por raiva do que aconteceu com Shireen) e Selyse se mata, muito provavelmente por sentir culpa de ter matado a filha. Até aí tudo bem… Por pouco tempo.

Primeiro que o tempo do episódio não parecia certo. Alguns minutos depois de vermos Melisandre no acampamento, descobrimos que ela fugiu. Do nada? Sério? Por que ela fugiu? Ela previu a morte de todo mundo e desistiu? Então mataram a Shireen por nada? De qualquer forma, segura um pouco o assunto que voltaremos para Melisandre quando chegarmos na muralha.

Era óbvio que os Bolton ia ganhar, com a cena aérea vimos que o exército de Stannis estava com uma desvantagem gritante, além de todos os problemas de falta de suprimentos que já tinha acontecido. Virei por um segundo pra anotar no meu celular o que estava acontecendo e quando olhei de novo a guerra tinha acabado. O que?

A guerra acabou muito rápido, entendo que foi um massacre, mas Durolar também foi e tivemos uma cena incrível com boa parte do episódio. Também entendo que o episódio precisava mostrar muita coisa, mas ainda assim não foi uma boa escolha.

Não vemos Roose nesse episódio, apenas Ramsay sendo… Ramsay, como sempre. Por que Roose não estava lá? Ou estava e não vimos? Essa guerra pareceu muito apressada.

Stannis cai, está morrendo e de repente vemos Brienne. Meu lado pessoal vibrou com mais uma cena da Brienne e que ela mataria Stannis, mas meu lado de crítica falou “Espera aí”. Brienne cruzou um campo de batalha inteiro sem ser encontrada por ninguém? Posso estar errada, mas não havia sinal de sangue ou indício de que ela tenha lutado. Além disso, de todos os lugares, ela foi parar justo ali? Pra dar o golpe final em Stannis? Game of Thrones nunca dispensa uma cena sangrenta, então fico na dúvida se Stannis realmente morreu ali. Por um lado eu sabia que tinha um capítulo do Stannis no sexto livro e aquela carta dos Bolton de que ele morreu me parecia muito suspeita. Por outro lado, nada impede que a série tenha adiantado a morte de Stannis, já que ele perdeu tudo e no livro sua família estava bem, talvez fosse um momento para sua morte. Seria o fim da casa Baratheon?

Não sou uma defensora de Stannis, não torço pra que ele fique no trono de ferro, mas eu também não sou conhecida por só gostar dos personagens bons, então sempre achei Stannis interessante (até porque eu gosto muito de Davos e ele aparecia em seus pontos de vista). Ainda não me desce o que aconteceu com ele na série. Até antes da morte de Shireen, eu estava gostando do desenvolvimento dele, no livro vemos o homem que Davos vê, mas na série podemos ver por outros lados. Não achava impossível ele matar Shireen, mas apenas numa situação bem extrema e não foi o caso, até porque no final ele perdeu tudo. Talvez tenha sido pra mostrar que Melisandre não é tão certeira quanto pensamos, mas de qualquer forma é um personagem que parecia ter uma mudança boa na série e pra que? Para matar Shireen e mostrar como um homem muito fanático no que acredita pode perder tudo? Não me entenda mal, não acho essa seja necessariamente uma mensagem ruim, mas a ideia foi mal executada, em questão de um episódio o pai bondoso virou o pior de Westeros. Nem Cersei mataria seus filhos, e eu digo “nem” porque ela é mais odiada no fandom que Stannis.

  • Dentro de Winterfell

Quais são as chances da Brienne enxergar a vela da Sansa? Tá, tirando essa parte (que no final não é relevante porque a Brienne não vê e a Sansa se vira), volto ao problema do tempo do episódios. A Sansa levou o tempo de uma guerra inteira pra atravessar o pátio de Winterfell? Mesmo? Eu sei que eu disse que a batalha foi curta, mas quem acredita que as guerras da ficção que acontecem em alguns minutos realmente levariam alguns minutos?

Sansa está voltando e encontra Myranda e Theon no meio do caminho. Apesar de Sansa dizer que quer morrer enquanto ainda existe algo dela ali, a cena acaba virando de Theon. Sansa é o foco até aqui, daí passa para Theon, mas não tempo o suficiente pra justificar a ação de Theon de matar Myranda, vamos lembrar que só alguns episódios atrás ele dedurou Sansa e ainda estava traumatizado por Ramsay.

Não esperava que a plot de Theon e Sansa em Winterfell se arrastasse além desse episódio (por favor, não), mas talvez um pouco mais de cena pra construir essa ideia de que Theon começava a pensar diferente. Teve a cena que Sansa descobre dos irmãos, mas… Uhm? E sim, eu também fiquei pensando se eles não iam morrer naquele pulo.

Era previsível que Sansa e Theon fossem fugir quando Stannis atacasse e seria estranho se eles não aproveitassem a chance, mas fico pensando: Poxa vida, vocês mudam o arco da Sansa todinho pra isso? Pra ela fugir de novo? Pra ela ver o Theon ou sei lá? Estupraram a personagem pra adicionar absolutamente nada? Não vamos esquecer que essa atitude dark era da quarta temporada, ela não ganhou isso agora. É muito chato, no mínimo, ver como Sansa foi reduzida por… Sei lá, a única explicação possível que eu penso é que a plot dela nos livros estava tranquila e eles precisavam diminuir núcleos, que são questões mais logísticas, só que não se resolve isso com plots ruins.

Mais uma coisa: Cadê o Mindinho?

  • Arya

Questionei muito a mudança do núcleo da Arya no último episódio, principalmente a questão da pedofilia. Porém descobri que na verdade não era uma mudança do nada. Não li os capítulos do sexto livro, mas me falaram que existe um, chamado “Mercy”, em que Arya realmente vê uma das pessoas de sua lista (Raff, o Querido), que de fato é um pedófilo, e se vinga dele. Peguei o capítulo e li as páginas finais sobre essa cena pra ter uma ideia, e aqui é um dos exemplos de que GRRM não acerta sempre.

Não vou lembrar tudo porque li por cima, mas basicamente Arya sabe que Raff é pedófilo e “seduz” ele, tendo uma cena de beijo (argh) e ela o mata. Junta isso com o fato de que descobri que Maisie Williams completou recentemente 18 anos e vocês já sabem o que eu estava esperando.

Não é uma cena perfeita, ainda vemos meninas apanhando e eu sinceramente acho que podiam ter cortado essa parte, mas foi um alívio não ver Arya ser abusada sexualmente e poder vê-la pulando para Trant sem beijo ou coisa do tipo. É uma cena sangrenta que mostra todo o ódio que Arya tem guardado pelas pessoas de sua lista, e é difícil ver e não sentir satisfação de sua vingança e da morte de um pedófilo. Trant (e Raff, no caso do livro) não foram as primeiras vítimas de Arya, tenho certeza.

Arya volta para o templo e encontra um Jaqen bem insatisfeito com o que ela fez. Então com um discurso de “só uma vida paga por outra” ele se mata e todos ficamos “O que?”. Quando Arya vira para trás, para encarar a outra moça que trabalha no templo, ela na verdade vê Jaqen e começa a arrancar freneticamente as máscaras do corpo morto, até encontrar o próprio rosto e, em seguida, ficar cega.

Confesso que vibrei quando vi que ela estava cega, não por desejar o mal para a personagem (nunca, ela é uma das minhas favoritas), mas porque no livro temos essa cena e eu tinha quase certeza que seu arco na série terminaria assim. E apesar de reconhecer os vários cortes feitos em seu arco, a mudança no timing das coisas e nos motivos de sua cegueira, gostei muito dessa parte e da conclusão da personagem.

Não vou saber dizer qual era o motivo de Arya ter ficado cega, faz tempo que li o livro e lembro de não ter entendido muito bem o que tinha acontecido nessa parte, mas imaginei que a cegueira seria uma punição na série. Uma parte de seu treinamento para ensiná-la a se desprender das coisas, a ser ninguém, porque no momento que ela se vinga de Trant ela é alguém.

Gosto muito do efeito das máscaras, que não parecem muito como máscaras, mas um pano que cobre a pessoa, como se fosse uma espécie de camada mágica ou algo do tipo. O livro também dá a entender que não é uma máscara comum, mas acredito que a série tenha acertado aqui.

E isso tudo nos faz questionar o que realmente acontece naquele templo, o que é aquela religião e o fato de Jaqen ser mais uma entidade do que uma pessoa. Esse foi um dos cliffhangers que mais me agradou, mesmo trazendo o capítulo Mercy para frente (e eu super dispensaria a pedofilia explícita).

  • Dorne

Agora que acabou já posso eleger como o pior núcleo da temporada? Uma pena mesmo, é um dos mais legais dos livros.

Confesso que agora que sei do final, fico me perguntando como não pensei nisso antes. Ellaria estava muito boazinha e eu assumi que fosse erro da série (que não é uma ideia tão absurda), mas na verdade ela resolveu agir quieta e continuar com sua vingança, independente do que disse para Doran.

Ao mesmo tempo que ainda me deixa brava, é um alívio de certa forma. Entenda, se Ellaria tivesse de repente, no final da temporada, virado a Ellaria sensata dos livros, em termos de desenvolvimento de personagem seria absurdo. Vai me dizer que Ellaria se convenceria em dois episódios que o ódio que tinha de Myrcella era infundado? Então quando percebi que ela na verdade só esperou para matar a princesa com veneno, senti que, por mais que eu não goste dessa Ellaria vingativa, fazia sentido com a personagem construída na série. Sem contar que depois de se ajoelhar para Doran, um homem, e pedir desculpas para Jaime, outro homem, é satisfatório ver a mulher mostrando que não vai ficar quieta porque eles querem.

Falando nisso, agora entendi porque vimos aquela cena ridícula da Tyene falando do veneno, eu sempre comento que algo mostrado antes pode voltar eventualmente e esqueci completamente do veneno, provavelmente por causa do meu asco com a cena. Não me entenda mal, é muito interessante quando vemos algo e falamos “Ah! É por isso!”, mas sério, precisava construir a cena daquela forma? Não tinha nenhum outro jeito de fazer Tyene mencionar o veneno sem seduzir Bronn?

Jaime e Myrcella vão embora com a benção de Doran. Juro que assistindo parei e pensei “Caramba, a Myrcella da série é uma adolescente, será mesmo que ela nunca ouviu os boatos de Jaime ser seu pai?” e logo em seguida Jaime confessa. De novo um conflito, ao mesmo tempo que acho esse plot de redenção de “Jaime pai” fraca, e que o desenvolvimento de Jaime parece ter parado desde a quarta temporada, até achei que fez sentido com o drama pessoal construído nos últimos episódios, mas não deixa de ser um desenvolvimento se comparado ao que vimos dele na terceira temporada.

Cena fofa e de aceitação seguida de morte, clássico efeito de roteiro para fazer a morte ser mais pesada para a audiência. Tenho minhas dúvidas se Myrcella morreu (não lembro da descrição de Tyene sobre o veneno), sendo que no livro ela foi ferida e estava se recuperando até o último capítulo de Dorne, mas uma coisa é ela perder a orelha, outra é perder a vida, então já que a série vai andar mais com os próprios pés na sexta temporada, não me surpreenderia uma guerra entre Lannisters e Martell.

Dorne foi uma decepção, as serpentes eram muito interessantes, ainda estou de luto por Arianne e o final do episódio era o momento para mostrar toda a força de Doran, mostrando suas reais intenções. Quando li o livro, Doran me deixava revoltada, Arianne fazia de tudo pra que as coisas funcionassem e Doran ficava no “paz e amor”, até o último capítulo que víamos como seu plano era muito maior do que tudo aquilo. Doran era pra ter revelado o quão grande era, dar algum sentido para suas ações e a posição da casa Martell até agora, mas não. Pode ser que isso apareça na próxima temporada.

  • Meereen

Quando a mãe sai de casa, os filhos ficam perdidos. Daario, Jorah, Tyrion, Missandei e Verme Cinzento não sabem muito bem o que fazer agora e nem como achar Daenerys. Com todas as revoltas que aconteceram, a Daenerys sumir assim deixa a situação mais frágil do que já era.

Tyrion é um personagem amado, então acredito que isso tenha influenciado a decisão dos produtores de colocá-lo no “trono” de Meereen enquanto Daenerys não volta, mas também penso que pode ser mais um dos spoilers do livro. Porém, como eu já tinha dito, Daenerys e Tyrion nunca se encontram no livro (pelo menos não ainda) e não vejo muito bem como que isso funcionaria.

Jorah e Daario decidem ir juntos atrás de Daenerys, o que me pareceu uma tentativa boba de triângulo amoroso. Além de não fazer nenhum sentido, por que só dois homens vão atrás da rainha? Eu sei que confiar nas pessoas de Meereen agora poderia ser um erro, mas cadê o exército dos Imaculados? Cadê os mercenários do Daario? Eu sei que a série passa um ar de que os Imaculados são incompetentes (não deviam ser os maiores guerreiros do mundo?), mas não é possível que não tenha sobrado alguém.

Além disso, será que a série fará um Daario bom? Digo isso porque no livro ainda não sabemos (eu acho que ele está armando e que não ama a Dany como diz) e um mercenário como ele deveria ver na ida de Daenerys uma chance de tomar as riquezas. Também não o vejo elegendo Tyrion como “rei” e muito menos as pessoas aceitando.

A wild Varys appears. Sabe-se lá como, Varys aparece com Tyrion no final, o que é um recurso muito poderoso para Meereen, mas ao mesmo tempo fiquei a cena inteira me perguntando como ele de repente apareceu lá. Varys tem contatos, mas calma né.

Enquanto isso, lá no mar dothraki, Daenerys e Drogon estão em uma relação estilo Ash e Charizard e a rainha não consegue convencer o dragão a voltar para Meereen, o que não faz muito sentido se você pensar que Drogon foi bem obediente no episódio passado. Então Daenerys começa a vasculhar o lugar e é cercada por um grupo de dothrakis.

A série passou a sensação de que Daenerys estava em apuros, mas há fatores nos livros que deixam a situação pior, então vamos voltar para o primeiro livro/temporada. Lá atrás, Drogo tinha seus “sangue do meu sangue” que eram guerreiros fieis a ele. Quando Drogo começa a ficar fraco, Daenerys pede para que a bruxa Mirri Maz Duur use sua magia proibida para salvar Drogo, mas Mirri está brava por ter comido pão que o diabo amassou com os dothraki (com toda a razão) e amaldiçoa Drogo, deixando Daenerys viúva.

Quando isso acontece, um dos guerreiros teria que assumir o lugar de Drogo, porém Daenerys resolve assumir ela mesma, o que causa a revolta em muitos dos dothraki, fazendo o khalasar diminuir bastante. Jhaqo, um desses guerreiros, desaprova todas essas decisões de Daenerys e vai embora com parte do khalasar não muito feliz. Esses dothraki que Daenerys encontra são do khalasar de Jhaqo.

Não tenho a menor ideia do que pode acontecer agora, no livro Daenerys questionou suas decisões enquanto tentava sair do mar dothraki e parecia que ela ia finalmente olhar para trás e ir para Westeros, mas não vai ser fácil com Jhaqo na sua cola, então esse será outro desafio que ela terá que enfrentar.

Outra coisa que não entendo é a cena dela jogando o anel no chão. É para esconder que tinha se casado de novo ou para que Jorah e Daario a encontrassem? Mesmo que seja para eles encontrarem, caramba, aprenderam com o Legolas a ter essa visão, só pode!

  • Cersei

Desde o começo da temporada eu já sabia que essa cena ia acontecer e já sabia que ia sofrer. Cersei decide que vai admitir algumas coisas para conseguir voltar para a Fortaleza Vermelha até o seu julgamento. Mas não vai ser fácil assim, o Alto Pardal a manda fazer a caminhada da vergonha: Cersei tem que ir nua, de cabelo curto, andando do Septo até a Fortaleza e não é uma caminhada pequena.

Ler essa cena foi um dos momentos mais agoniantes do livro para mim e eu tenho muitos sentimentos mistos, isso já lá atrás quando li então não é uma coisa da série especificamente. Já sabíamos que a Cersei ia ter que encarar algo horrível e sinceramente é algo que se espera, entendo que a Cersei é odiada por uma parte do fandom que louva homens horríveis, mas nem de longe acho que todas as ações dela são justificáveis e certas, não acho que tudo seja só para se manter no trono e assim como outros personagens, Cersei cometeu erros e teria que pagar por eles eventualmente.

O problema é que ela paga de uma forma muito mais dura que qualquer outro personagem. Tá certo, Stannis em tese morreu, mas pra mim é muito mais forte ver uma cena de humilhação como a de Cersei do que uma morte, o cara morreu e acabou, ela vai ser conhecida por essa caminhada e viver o resto da vida com isso, provavelmente nunca mais será levada a sério, ainda mais no ambiente machista que é Westeros.

Vemos homens fazendo coisas mais horríveis que Cersei e nenhum deles passa por algo como o que ela passou, ter que ver ela andar nua por acusações de “fornicação” me faz apertar os dentes. É um momento interessante para a personagem, mas me questiono da necessidade e por que só ela passou por algo do tipo. E por favor não me venham comparar aqueles segundos do homem andando nu no começo da temporada.

Em questão de produção a cena foi muito bem feita, Lena estava perfeita, passando a carga emocional necessária. Fiquei muito com pé atrás com a empatia que devia ser criada em torno dela, construída no quarto livro, mas que a série falha em fazer. Porém, com a atuação de Lena tenho minhas dúvidas, eu particularmente acho que ela conseguiu passar uma parte do que seus capítulos de redenção no livro tinham feito, mas nem a melhor atriz poderia resolver um buraco no roteiro assim.

Meu grande problema é: Mais uma cena em que a mulher é humilhada. Fazer essa caminhada por que traiu o marido que abusava dela? Sério? Acredito que ela confesse mais coisa no livro, mas sinceramente não lembro. Ai que tá, se a HBO tratasse suas personagens mulheres com respeito, talvez a cena da Cersei não parecesse como “mais uma humilhação”, o problema é que o histórica da HBO já cansou, e já era uma cena da qual não gostava nos livros.

Bom, antes de fechar essa parte, vale mencionar que Qyburn parece ser o único do lado de Cersei, além de seu mais novo membro da guarda real. Não sei se há dúvidas, mas esse soldado é a versão Frankstein de Montanha, aquele “morto” por Oberyn na quarta temporada e que Qyburn estava tentando trazer de volta. Muito boa a caracterização, uma armadura toda fechada e o pouco que dá pra ver é uma pele azul e roxa com olhos bizarros.

Minhas apostas para a próxima temporada é que a Cersei vai vir com tudo. Ela tá brava com todos ali em Porto Real (tirando Qyburn e Tommem), vai ficar brava quando descobrir o que aconteceu com Myrcella e tem um monstro desse do lado. Não sei o que vai ser, mas Cersei vai vir na fúria.

  • Muralha

O final polêmico. Como imaginado, Jon insiste que não pode ajudar Davos e nesse momento Melisandre aparece, e aí vou voltar nela. Achei muito repentino ela ter sumido, até porque ela é uma feiticeira, e em histórias “medievais” em que os magos e feiticeiros não são tão ativos, quando eles soltam seus poderes, o bicho pega. Talvez Melisandre não tenha tanto poder quanto imaginávamos, mas talvez também seja porque ela não viu necessidade.

Quando vi o rosto de Melisandre, ela parecia muito triste, mas não acho que isso seja porque o exército de Stannis morreu. Considerando que há boatos (e digo boatos porque eu estou evitando as notícias sobre o sexto livro) de que vai existir um ponto de vista da Melisandre no próximo livro, me parece que ela perdeu a fé. Talvez ela tenha se tocado que Stannis não é o salvador e isso a fez largar tudo. Melisandre, muito forte nas suas crenças, pode ter perdido a fé e isso seria muito interessante de ver.

Depois Jon comenta com Sam o que aconteceu em Durolar e achei estranho ele não ter feito um anuncio geral, mas enfim, seguimos em frente. Ao contrário do livro, é Sam quem dá a ideia dele ir para a Cidadela com Gilly e o bebê, para aprender coisas e poder voltar. Por um lado eu acho que, agora, mais do que nunca, é um momento incoerente para Sam sugerir isso, até porque ele sabe que Jon é odiado por boa parte da patrulha. Por outro lado, pelo desenvolvimento de Sam na série, não acho completamente sem sentido e não vejo Jon mandando um de seus únicos amigos embora, até porque no livro o Sam vai embora bem no começo.

Resolvido isso, vemos Jon lendo algumas cartas em sua mesa e não sei bem se é a tal carta que diz que Stannis morreu ou qualquer outra coisa, mas ele é interrompido quando dizem que acharam seu tio Benjen. Lembra daquele cara no começo da primeira temporada, um Stark que foi pra Winterfell e levou Jon para a Patrulha? Pois é.

Como nós nunca mais ouvimos falar nada dele no livro, eu realmente acreditei que fosse alguma novidade e mais outro spoiler, mas era um plano para tirar Jon de dentro de sua sala desavisado e poder mata-lo, já que ele estava “destruindo” a patrulha deixando os selvagens entrar. A temporada termina com um Jon bem morto caído no chão, obrigada prints falsas com photoshop por me fazer acreditar que ia ter um momento warg ou coisa do gênero nessa parte. Acredito que tenha sido um bom final de temporada, o maior de vários cliffhangers que tivemos em Mother’s Mercy.

Uma coisa que ficou me incomodando um pouco foram os motivos da patrulha. No livro, a gota d’água não são os selvagens, apesar de isso ajudar muito, mas sim que Jon resolve invadir Winterfell quando descobre da “morte” do Stannis. Em seguida tem uma confusão com Wun Wun (o gigante) e um dos guardas e aí eles aproveitam para matar Jon. Na série a tensão de trazer os selvagens foi bem construída, parecia que fazia um tempo que a galera tava infeliz, principalmente porque a eleição para comandante foi apertada, mas seria isso motivo para a patrulha matar Jon? Na série dá pra acreditar, mas volto a pensar nos juramentos da Patrulha da Noite, que eles precisam largar títulos e terras, e quando Jon diz que vai invadir Winterfell seria ele usando seu sangue Stark para tomar o poder de uma terra que, como membro da Patrulha, ele não deveria. Na série eu fiquei um pouco “Então eles não gostam da decisão dele e o matam?”. Não é exatamente uma reclamação para a série, só um pensamento pessoal, até porque um Jon que negou a Stannis ser o senhor de Winterfell, do nada virar e falar “Agora eu quero” seria fora de personagem, então talvez para a série eles tenham acertado na motivação.

Imagino que a minha reação lendo essa parte tenha sido a reação das pessoas que não sabiam assistindo essa cena. Quando comecei a ver Game of Thrones, anos atrás, tinha quatro personagens que eu botava minha mão no fogo que não iam morrer: Daenerys, Tyrion, Arya e Jon, mesmo com todas as mortes inesperadas. Então ver um desses quatro, que eu considerava salvos, ser morto assim foi um choque.

Será que Jon está morto? Eu ainda não tenho certeza. Desde que o quinto livro foi lançado, há várias teorias sobre Jon voltando a vida, uma das mais famosas é que ele volte como um warg em Fantasma, o que pode ser possível já que o lobo voltou do nada nessa temporada e sabemos que tanto Bran quanto Arya (nos livros, pelo menos) possuem essa habilidade. Outros apostam que a Melisandre o traria de volta, e o fato dela voltar para a muralha fortalece essa teoria.

De qualquer forma, ressuscitar pessoas é um tema recorrente em Game of Thrones, mesmo a série tendo cortado Lady Stoneheart, muitas vezes na série vimos e ouvimos sobre pessoas revivendo, inclusive a menção mais recente foi feita em Hardhome, e como dá pra ver, se um tema aparece com alguma frequência, é quase certeza que isso vá voltar mais tarde. Ele pode simplesmente estar morto também, mas não me desce, Jon é “A canção de gelo em fogo”, seja pela teoria de seus pais ou por ele ser o gelo e a Daenerys ser o fogo. Talvez ele realmente tenha morrido, mas pessoalmente só vou acreditar quando ler os livros e ver que Jon realmente não volta.

  • E agora, José?

Chegamos a mais um fim de temporada de Game of Thrones e algumas considerações precisam ser feitas, já que fiquei dez semanas postando sobre todos os episódios.

Eu gosto muito de Game of Thrones, é uma das minhas histórias preferidas (entenda que quando digo ‘histórias’ é porque estou incluindo todas as mídias que acompanho, sendo livros, filmes, jogos, séries, etc). Amo a quantidade de personagens, amo como eles são trabalhados, amo ver mulheres fortes e amo o espaço que temos para teorias, inclusive teorias é uma das minhas partes preferidas de ser parte de algum fandom específico. Game of Thrones me deu tudo isso, numa das minhas ambientações favoritas (fantasia medieval) e com muita história.

Então é muito chato pra mim vir aqui e dizer que a temporada deixou a desejar em vários pontos. Eu não gosto de vir aqui e escrever um texto com mais pontos negativos que positivos, por mais que eu tenha tomado uma atitude mais crítica ao longo dos anos, inclusive com coisas que gosto muito, eu prefiro me focar nos pontos positivos. Não é que eu vou fechar os olhos pros erros, isso nunca, mas eu pessoalmente, por vários motivos, gosto de me focar no bom da história que estou comentando.

Uma história qualquer pode ter errado muito em uma parte, como o final por exemplo, sei lá, mas tem tantas outras coisas boas que eu não vou me questionar se ainda vale a pena, porque pra mim vale a pena.

Com Game of Thrones (no caso, a série) eu fiquei me perguntando se valia a pena. Com toda a questão do estupro da Sansa, vários sites pararam de acompanhar Game of Thrones e eu acho que eles têm todo o direito, não só porque cada um faz o que quiser com o próprio site, mas porque eu entendo. Como mulher, foi muito chato ver inúmeras coisas nessa temporada e eu estou cansada, assim como me cansa ver jogos que ainda excluem o público feminino, como me cansa ver que filmes de super heroínas mulheres são ignorados porque “não dá dinheiro”. Eu podia (e talvez faça) algum texto específico sobre isso, mas vou me focar na questão de Game of Thrones agora.

Fiquei com vontade de largar a série também e não posso garantir se estarei aqui para a sexta temporada, mas como eu sabia que tinha pessoas que acompanhavam os textos ao invés de ver o episódio (e porque não gosto de deixar coisa pela metade) continuei, mas infeliz com o que estava vendo.

Eu sei que reclamações são chatas, eu mesma, que estou sendo a pessoa que está reclamando, não gosto de ter que fazer isso, mas não posso ver o que vi essa temporada e fingir que não aconteceu. Como mulher, não consigo aceitar mais esse tipo de violência contra personagens que estão lá me representando, é chato e incômodo, isso que você acha que “não é nada” na televisão são dificuldades que inúmeras mulheres precisam enfrentar durante a e não me surpreende que muitas delas abandonem a série por causa disso. E eu nem vou entrar no mérito da série ter cometido erros de roteiro também, vários deles por sinal.

Por dez semanas eu sentei toda a segunda-feira pra escrever sobre Game of Thrones, então é porque eu gosto da história, não estou só reclamando por reclamar, e como uma fã mulher eu fico decepcionada com o que está acontecendo. Infelizmente a HBO só vai se tocar quando sentir no bolso, mais um motivo que me convence de não acompanhar a sexta temporada. Ainda amo os livros e a história em geral, mas a série fez umas mudanças que foi muito difícil de engolir e ninguém é obrigado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s